ICDF- Instituto de Cardiologia do Distrito Federal FUC- Fundação Universitária de Cardiologia
61. 3403-5400 - Geral / 61. 3403-5596 - SAC
Marcação de Consultas/Exames
Tel: (61) 3451-1000 Central de Marcações

Brasília, 08/07/2021 - Quarenta dias depois de receber um novo coração, Eric Humberto de Moraes, o 300º paciente transplantado pelo Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), recebeu, hoje, a tão sonhada alta hospitalar.

A história de Eric foi amplamente divulgada pela mídia: sua “batalha” por um transplante cardíaco começou em 17 de julho de 2018. Após nove tentativas para que a cirurgia fosse feita, finalmente, chegou a esperança para esse mineiro de Uberlândia, de 44 anos.

No dia 29 de maio, Eric que era portador de miocardiopatia isquêmica, recebeu a notícia de que poderia haver um órgão compatível em outro estado. A partir daí, como em todos os transplantes, teve início uma verdadeira operação de guerra, envolvendo as equipes do ICDF e a Central Estadual de Transplantes, com apoio dos Órgãos de Segurança que auxiliam na logística.

Depois de oito horas de cirurgia, liderada pela equipe do Coordenador do Programa de Transplantes do ICDF, Fernando Atik, o paciente seguiu para a recuperação em UTI.

Um pouco mais de um mês depois, segue para casa, ainda em recuperação.

“Eu mal conseguia tomar um banho sozinho. Minha vida começou de novo. Tenho uma gratidão enorme, por isso, ao ICDF e à família que doou esse coração que está aqui, batendo no meu peito”, disse Eric no momento da alta.

Além do cardiologista, toda a equipe multidisciplinar (psicóloga, assistente social, nutricionista e fisioterapeuta) orientou o paciente sobre sua nova etapa de vida, ainda com algumas restrições, e celebrou a alta, com a entrega do Certificado de Honra ao Mérito (em reconhecimento a sua conquista pela vida).

“A alta do Eric é tão significativa, não só por ser o paciente número 300, mas por toda a história dele. Ele veio de fora de Brasília, foram muitos desafios, e vê-lo superar tudo isso e ter uma vida pela frente, com tantas oportunidades novas que se abriram depois do transplante, é muito gratificante”, concluiu a enfermeira do transplante, Camila Matos, emocionada.

 

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação - ICDF
imprensa@icdf.org.br
61. 3403-5496