ICDF- Instituto de Cardiologia do Distrito Federal FUC- Fundação Universitária de Cardiologia
(61) 3403-5400
Marcação de Consultas/Exames
Tel: (61) 3451-1000

A Doença de Chagas é uma inflamação causada por um parasita encontrado em fezes de insetos, também é conhecida como tripanossomíase americana e chaguismo. Ela é transmitida pelo Trypanosoma cruzi, um parasita da mesma família do tripanosoma africano, responsável pela doença do sono, o parasita pode ser encontrado nas fezes de alguns insetos, principalmente um conhecido como barbeiro.

É possível contaminar-se também com a doença a partir da ingestão de alimentos crus e contaminados com fezes do parasita, da transfusão de sangue ou transplantes de órgãos contaminados com a doença, do contato direto com o parasita e com outros animais que estejam infectados, também pode ser congênita, no caso de mães infectadas que transmitem esse mal para o filho durante a gravidez.

O Instituto de Cardiologia do Distrito Federal trabalha na prevenção da doença, orientando os pacientes a usarem repelentes roupas de mangas longas, etc, em áreas rurais. Para a prevenção da transmissão oral é importante seguir todas as recomendações de boas práticas de higiene e manipulação de alimentos, em especial aqueles consumidos natura, e sempre lavar bem as mãos.

Elaine Gomes teve a doença de chagas, que evoluiu a ponto de ser necessário realizar um transplante de coração no ICDF, “Foi bem difícil no começo, quando descobri a doença, teve muito momentos complicados, principalmente quando ocorreu uma inflamação no meu coração com alterações do eletrocardiograma e número de batimentos por minuto aumentou, neste momento que soube que teria que fazer um transplante,  sei que vou ter que me cuidar muito mais agora” completou.

As principais formas de transmissão da doença de chagas são:

  • Vetorial: contato com fezes de triatomíneos infectados, após picada/repasto (os triatomíneos são insetos popularmente conhecidos como barbeiro, chupão, procotó ou bicudo).
  • Oral: ingestão de alimentos contaminados com parasitos provenientes de triatomíneos infectados.
  • Vertical: ocorre pela passagem de parasitos de mulheres infectadas por T. cruzi para seus bebês durante a gravidez ou o parto.
  • Transfusão de sangue ou transplante de órgãos de doadores infectados a receptores sadios.
  • Acidental: pelo contato da pele ferida ou de mucosas com material contaminado durante manipulação em laboratório ou na manipulação de caça.

O período de incubação da Doença de Chagas, ou seja, o tempo que os sintomas começam a aparecer a partir da infecção, é dividido da seguinte forma:

  • Transmissão vetorial – de 4 a 15 dias.
  • Transmissão transfusional/transplante – de 30 a 40 dias ou mais.
  • Transmissão oral – de 3 a 22 dias.
  • Transmissão acidental – até, aproximadamente, 20 dias.

Para explicar melhor como funciona a doença de chagas, fizemos um bate bola com o Dr. Marcelo Ulhoa, Cardiologista do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal.


1.  Como a doença de Chagas é transmitida?

As formas de transmissão de maior importância epidemiológica são: vetorial, por meio das fezes e, não da picada, como a maioria das pessoas supõe - do barbeiro, inseto hospedeiro do parasita; por transfusão de sangue; de mãe para filho, de forma congênita; e oral por meio da ingestão de alimentos contaminados pelas fezes do barbeiro.


2. Como é diagnosticada?

A doença têm duas fases: a aguda e a crônica. Embora o diagnóstico de ambas seja realizado por meio da análise laboratorial de amostras de sangue, há uma diferenciação: na fase aguda, o diagnóstico é feito por meio do isolamento do parasita (Trypanosoma cruzi) do sangue, enquanto na fase crônica, o diagnóstico é realizado pela detecção de anticorpos.  

3.  Uma pessoa pode estar infectada sem saber?

Sim. Infelizmente, é muito comum, porque a maioria dos casos são assintomáticos, mesmo na fase aguda. Pode demorar até 20 anos para que uma pessoa descubra que tem um problema no coração ou no aparato digestivo. Ou, de repente, a pessoa pode doar sangue ou fazer um transplante e acaba descobrindo que tem a doença. Aproximadamente 90% das pessoas infectadas não sabem que têm a doença.


4. Como se dá o tratamento? Houve avanços recentes?

Hoje, temos apenas dois medicamentos disponíveis. No Brasil, somente um, o benzonidazol. Em outros lugares do mundo, pode-se encontrar o nifurtimox. Podemos citar como avanço recente a formulação pediátrica do benzonidazol, que é a adaptação do medicamento para crianças até 20 kg ou menores de 2 anos. Ano passado, tivemos o primeiro paciente tratado no mundo inteiro com a formulação pediátrica: no Paraguai, um bebê prematuro de 1,2 kg com infecção congênita foi submetido ao tratamento, e foi curado.

5.  Chagas tem cura? Existe vacina?

A doença de Chagas tem cura. Quanto mais precoce for o diagnóstico e o quanto antes for iniciado o tratamento, maiores as chances. Quanto maior o tempo de infecção, menores as chances de cura e mais difícil será a demonstração da efetividade do tratamento, pois mesmo estando curado, você continuará gerando anticorpos. E essa é a grande dificuldade: não temos um teste de cura; o anticorpo pode ser detectado por 20 ou 30 anos. Essa limitação afeta também o desenvolvimento de novos tratamentos, pois não podemos medir a efetividade na fase crônica de longa duração. Mas, na fase aguda, a chance de cura é de praticamente 100%. Não existe vacina ainda, infelizmente.

6.  Quais as formas de evitar a transmissão? É possível erradicar a doença?

Para erradicar a doença, teriam de ser eliminadas mais de 100 espécies de mamíferos de pequeno e médio porte, que são os chamados “reservatórios” do parasita. Complicado, não? O que se pode fazer é interromper, controlar e vigiar os modos de transmissão nas áreas endêmicas, melhorando as condições de moradia, ampliando o acesso ao diagnóstico e ao tratamento na atenção primária de saúde, controlando os bancos de sangue e as doações de órgãos. Ainda assim, erradicar o inseto transmissor é praticamente impossível, pois já foram identificadas mais de 140 espécies de barbeiros, todas potencial transmissoras da doença.


7. Quais os países em que a doença é mais prevalente?

A doença é considerada endêmica em 21 países. Atualmente, com a globalização, a doença já está presente em países considerados não endêmicos, como Espanha, Japão França e Itália, entre outros, onde os imigrantes portadores crônicos da infecção podem transmiti-la pelo sangue, por transfusão, por exemplo, ou de mãe para filho.

Pacientes que tenham indicação da manifestação de chagas no coração e manifestem interesse em ser acompanhados pelos profissionais do ICDF, podem informar-se sobre o atendimento por convênio e particular, ou sobre encaminhamentos de pacientes do Sistema Único Saúde (SUS), entrando em contato com a central de atendimento nos telefones: 61. 3451-1000 ou 61. 3403-5400

Por Rafaela Mendes - DRT/DF 014748
Revisão Anna Virgínia Souza - DRT/DF 8989

 

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação - ICDF
61. 3403-5496/5596