ICDF- Instituto de Cardiologia do Distrito Federal FUC- Fundação Universitária de Cardiologia
(61) 3403-5400
Marcação de Consultas/Exames
Tel: (61) 3451-1000

Medula óssea é o tecido existente no interior do corpo onde se é produzido às células sanguíneas. É no interior dos ossos que encontramos as células que darão origem aos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e as plaquetas, essas células também chamadas de células progenitoras ou células tronco hematopoéticas. A medula óssea é popularmente conhecida como tutano do osso.

O Transplante de Medula Óssea (TMO) é uma terapia celular em que células são levadas do doador ao receptor. Neste procedimento, o paciente (receptor) recebe a medula óssea por meio de uma transfusão, ou seja, as células do sangue são colhidas do doador, colocadas em uma bolsa de “sangue” e transfundidas para o paciente. O procedimento é diferente da maioria dos transplantes, já que o órgão transplantado não são sólidos, como fígado ou rim.

As células transfundidas circulam pelo sangue, se instalam no interior dos ossos, dentro da medula óssea do paciente. Depois de um período variável de tempo ocorre a "pega" da medula, quando as células do doador começam a se multiplicar, produzindo as células do sangue e enviando ao sangue: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas normalmente.

Esse procedimento é indicado principalmente em doenças da medula óssea e certos tipos de câncer hematológicos.  O tratamento tem o objetivo de substituir a medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea de um doador sadio, com o objetivo de regenerar a medula do paciente.

Existem dois tipos de TMO:

Autólogo: Neste tipo de transplante o paciente é seu próprio doador. Esse procedimento é indicado somente para algumas doenças. Após o paciente completar as sessões de quimioterapia, as células mãe da medula óssea são retiradas do próprio paciente, armazenadas e transfundidas após altas doses de quimioterapia (condicionamento) a fim de eliminar células doentes e reconstituir a medula óssea.

Alogênico: As células-tronco ou células mãe do sangue são recebidas de outra pessoa; um doador selecionado por testes de compatibilidade (Compatibilidade HLA). Esse doador compatível pode ser um irmão, irmã, parentes próximos ou pode ser um doador voluntário não aparentado, cadastrado em bancos de medula óssea ou em bancos de cordão umbilical.

 

Como se dá o processo de transplante?

 

É realizada a coleta da medula do paciente no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) que dispõe de equipamentos específicos para a coleta do material. Já o processamento e armazenamento das células hematopoiéticas colhidas são realizados pela Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), onde serão congeladas numa temperatura abaixo de 80 graus negativos até o dia do procedimento.

Ainda em preparação para o transplante, o paciente é submetido a uma dose altíssima de quimioterapia, etapa conhecida como condicionamento, que ocasiona a morte das células existentes do tumor, tais como leucemias, linfomas e mieloma múltiplo. Após a eliminação das toxinas do procedimento quimioterápico é finalmente realizado o transplante com a efetiva infusão das células saudáveis no paciente, estas migram diretamente para a medula óssea, e depois de instaladas, ocorre naturalmente repovoamento da medula saudável.  

Por Rafaela Mendes

Revisão - Jéssica S. Mendes

 

Mais informações para a imprensa

imprensa@icdf.org.br
Assessoria de Comunicação - ICDF
61. 3403-5496/5596